Presidente do Crea-PE participa de reunião do Rotary Club

 

Na última quinta-feira (13), o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, foi convidado a participar da reunião plenária realizada semanalmente pelo Rotary Club do Recife, no Clube Português, bairro das Graças. Na ocasião, o engenheiro José Mário falou sobre o histórico e funcionamento do Conselho, além de alguns projetos que estão sendo desenvolvidos para, por exemplo, dar apoio às vítimas das enchentes da Mata Sul do Estado e de recuperação do Haiti.
 
“O Crea desempenha a regulamentação e fiscalização do exercício profissional, com a principal missão de lutar pelos interesses da sociedade”, disse José Mário no início de sua explanação. O engenheiro civil, responsável por presidir o Conselho, destacou as ações pioneiras do Crea-PE como a criação da Câmara de Engenharia de Pesca e a interiorização das ações com as inspetorias espalhadas pelo Estado. Além disso, José Mário salientou o fato do Crea-PE ser hoje uma liderança internacional com o engajamento no Movimento Pensar as Américas, que teve seu primeiro seminário realizado em março do ano passado no Recife com a participação de 18 delegações estrangeiras e atualmente foi adotado como principal projeto de integração pela União Panamericana de Associações de Engenheiros (Upadi).
 
Segundo José Mário, como compromissos solidários, o Conselho pernambucano participa do grupo de Cooperação Técnica pelo Renascimento Solidário do Haiti com o objetivo de recriar o colégio de engenheiros haitiano. O Crea-PE também se uniu, no ano passado, ao Governo do Estado para ajudar as vítimas das chuvas do mês de junho na Mata Sul, vistoriando e apresentando laudos técnicos das edificações. “Agora estamos nos reunindo para colaborar com as ações de ajuda aos estados violentamente atingidos com as chuvas no início deste ano, como o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo”, comunicou José Mário. Outra atividade assumida pelo Crea-PE foi se unir aos demais estados envolvidos com a transposição das águas do rio São Francisco formando um grupo de trabalho para acompanhar as obras. Para palestrar sobre o assunto, o presidente do Crea-PE chamou o coordenador do GT São Francisco em Pernambuco, o engenheiro civil José Geraldo de Araújo.
 
José Geraldo realizou uma exposição pessoal do tema resgatando os acontecimentos desde o início do processo de transposição. “O projeto de transposição é um somatório de ações para alcançar um objetivo único. Foi levantado a possibilidade do resgate da navegabilidade, o aproveitamento hidrelétrico e a irrigação”, pontuou. Segundo o engenheiro, a criação de uma política nacional de recursos hídricos e da Agência Nacional do Uso das Águas tem o intuito do atendimento de uma demanda social para que em 2025 estejam abastecidos de higiene e consumo de água 12 milhões de nordestinos. “Teremos através desse complexo de ações a garantia do abastecimento humano. Difícil alguém se opor a esse objetivo”, disse José Geraldo.
 

 

O palestrante ainda comentou que no Nordeste tem-se a oferta de 75 metros cúbicos por segundo, enquanto a demanda é de 160, atribuída na maior parte a irrigação e o restante em abastecimento. “Gostaria de chamar a atenção que o projeto de engenharia prevê uma demanda abaixo de Sobradinho e que será elevada a 180 metros cúbicos por segundo no eixo norte, na verdade uma realimentação, e em seguida uma transposição que seguirá com derivação para o Rio Grande do Norte”, explicou.

 

Vanessa Bahé
ASC Crea-PE