Crea-PE participa de homenagem a turma de engenharia de 1960 da POLI

Na noite da última quarta-feira (15), o 1º vice-presidente do Crea-PE, Clóvis Arruda, participou da solenidade do Jubileu de Ouro em homenagem aos concluintes da turma de engenharia de 1960 da Escola Politécnica de Pernambuco (POLI/UPE). Na ocasião, foi realizada a aposição da placa comemorativa aos 50 anos da colação de grau dos formandos. Além do engenheiro civil Clóvis Arruda, fizeram parte da mesa de saudação o representante do reitor Carlos Calado da UPE, o professor Darlan Antonio Andrade Moutinho; o diretor da POLI, Pedro de Alcântara Neto; o orador da turma, Carlos Américo Carneiro Leão; o professor de física da turma na época, Lourival Trajano; e o filho do paraninfo de turma Eliomar Martorelli (in memorian), Frederico Matorelli.

 
O representante do magnífica reitor, Darlan Moutinho, saudou os presentes e falou sobre a honra de receber os profissionais na casa. Com registros emocionantes da época de estudante, o orador da turma Carlos Américo discursou sobre a situação histórica e as características dos concluintes de 50 anos atrás. “Alguns acontecimentos marcaram nosso tempo de alunos como a recém inauguração de Brasília, a criação da Sudene, alavancadora de recursos para o Nordeste; construção de barragens, entre outras”, comentou. “Nós, engenheiros de 1960 convivemos e ajudamos em todo esse desenvolvimento. Na época, os cursos de engenharia eram os mais procurados. Hoje poderemos assistir a déficit de engenheiros no País, tamanho o ritmo acelerado do desenvolvimento. Precisamos despertar o interesse dos alunos pelas ciências exatas”, disse. O orador ainda lembrou os professores e os 36 colegas de turma, e pediu um minuto de silêncio para os já falecidos.
 
Lembrando alguns alunos destaques, como Plínio Cavalcanti, José Eudo Arruda, Germano Schinaider, entre outros, o atual diretor da Politécnica, Pedro de Alcântara, falou sobre a história da escola e dos futuros projetos. Convidou a todos para a inauguração do novo auditório previsto para março do próximo ano, e o centenário da POLI em 2012. O diretor também ressaltou como projeto em andamento o mapeamento dos riscos da bacia do rio Uma, em parceria com o Crea-PE, com o Instituto de Hidráulica da Universidade de Dresden, na Alemanha, o Serviço Alemão para Intercâmbio (DAAD) e a Cultura CCBA. O 1º vice-presidente do Crea-PE, Clóvis Arruda, levou aos ex-alunos os cumprimentos do Conselho ao qual fazem parte. “É uma emoção estar aqui porque também fui aluno da POLI. Hoje nós formamos o maior conselho profissional do mundo, com mais de 900 mil profissionais”, disse.
 
Para Plínio Cavalcanti, proprietário da construtora que leva seu nome, desde 1960, e executora de obras que vão do Espírito Santo ao Pará. “Já fizemos inúmeras escolas, hospitais, pontes, substações, inclusive a primeira de 500 kV do Nordeste. Hoje, nesta solenidade, sinto momentos de alegria e tristeza. Felicidade por olhar para trás e ver o que ajudamos a construir e tristeza pelos colegas que já foram e não puderam estar aqui. Fomos uma turma muito unida, finalizamos os 36 juntos”, finalizou Plínio.
 
Clique aqui e confira as fotos no flickr do Crea-PE.