Estudante pernambucana foi a mais participativa na Cidade Colaborativa

Nascida em Carpina (a 56 quilômetros do Recife), a jovem pernambucana Amanda Marquês, de 19 anos, teria todos os argumentos para abandonar o curso de Engenharia Civil na Escola Politécnica de Pernambuco vinculada à Universidade de Pernambuco (UPE). Entretanto, a força de vontade e o sonho de construir são mais forte que os desafios enfrentados pela jovem, que cursa atualmente o quarto período da universidade.

 
Três vezes por semana, a estudante acorda cedo e sai às 7h de casa para ir à Poli e só retorna para casa após as 23h, no ônibus da prefeitura. Apesar de toda essa correria no dia a dia, Amanda ainda encontrou tempo para participar ativamente com ideias para a Cidade Colaborativa, sendo considerada a estudante, no País, a apresentar mais propostas.
 
“Em dezembro do ano passado, a equipe de Comunicação do Confea me adicionou no Orkut. A partir daí, conheci a Cidade Colaborativa e fiquei pensando em como poderia ajudar. Passei a olhar com mais detalhe para a minha cidade e não queria que os problemas que existem ali fossem repetidos na Cidade Colaborativa. Espero que as ideias agora saiam do papel, pois existem bons projetos ali que podem ser aplicados na realidade”, disse Amanda com entusiasmo.
 
A estudante conta com a experiência foi enriquecedora. “Aprendi bastante com esse projeto. Das mais de 35 sugestões, Amanda destaca a construção de um espaço para a instalação de edificações para todas as religiões com o objetivo de promover a integração em prol de trabalhos comunitários. Quem participou sabe que a experiência foi maravilhosa”. Quem tiver interessado em conhecer o projeto basta acesso http://www.cidadecolaborativaconfea.com.br/.
 
Kele Gualberto
ASC do Crea-PE