Garanhuns encerra Encontro Profissional Cidadão

O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) encerrou, em Garanhuns, na última sexta-feira (04), a rodada de palestra dentro do projeto Encontro Profissional Cidadão. Além da conhecida Cidade das Flores, o Conselho esteve presente com esse ciclo de palestras nos municípios de Goiana, Carpina, Salgueiro, Carpina, Araripina e Petrolina. De acordo com o presidente do órgão, em exercício, Arnaldo Cardim, esses encontros foram importantes para aproximar ainda mais o Crea dos profissionais registrados e da sociedade.

“Estamos trabalhando com o foco na interiorização porque entendemos da importância desses municípios no crescimento do Estado. As pessoas têm o interesse de conhecer ainda mais sobre o Sistema, então decidimos por trazer o Conselho até eles”, disse Cardim.

Nesse último dia de debate, o conselheiro e presidente da Associação Pernambucana de Engenheiros Florestais (Apeef), Marcílio Luna Filho, apresentou seu ponto de vista a respeito do novo Código Florestal. Na apresentação, o engenheiro florestal destacou os seguintes impactos negativos, caso aprovado hoje da forma como está: a anistia das pessoas que desmataram ilegalmente até junho de 2008; a diminuição da faixa da Área de Preservação Permanente (APP) na mata ciliar; isenção de Reserva Legal (RL) para propriedade de até quatro módulos fiscais; o somatório das áreas de APPs com a reserva legal para definir a área de preservação da propriedade; a Emenda 164, a qual defende que os estados definirão, de fato, o que poderá ser cultivado nas APPs e, por fim, a segurança jurídica aos produtores rurais.


“Levantamentos indicam que, se aprovado com esta proposta de mudança, o Código Florestal isentará 90 das propriedades rurais do País da obrigação de preservar a vegetal nativa em uma parcela das terras”, disse o engenheiro florestal. Ele acrescentou que, devido à brecha no Código Florestal de isentar quem cometeu crime ambiental anteriormente, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE) indicaram um aumento de 11% no abate de árvores entre agosto e dezembro de 2010, comparado com o mesmo período do ano anterior.


O inspetor de Garanhuns, o arquiteto Antônio Aristóteles Bastos, falou sobre os planos diretores das cidades, enquanto instrumento de desenvolvimento. Já a arquiteta e paisagista Eloah Ramos apresentou alguns projetos premiados na área de arborização e ajardinamento nas cidades. De acordo com a arquiteta, é necessário o envolvimento da sociedade para manter belos os jardins. O engenheiro mecânico José Artur Padilha, STR, palestrou sobre o Manejo das Águas.


Kele Gualberto

ASC do Crea-PE