Especialista diz que houve falha grave no acidente com fio elétrico

Recife, 14 de junho de 2013

Na última terça-feira (11), faleceu o advogado e músico Davi Santiago, que se encostou acidentalmente no fio desencapado da rede de energia elétrica enquanto passeava com o seu cachorro, na Avenida Visconde de Jequitinhonha, Setúbal, Zona Sul do Recife. O acidente levantou o debate sobre a importância das normas técnicas de segurança, principalmente com relação à energia elétrica. O fio que estava pendurado entre os dois postes na Avenida Jequitinhonha continuava fornecendo energia.

Na opinião do 1º diretor Financeiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), engenheiro eletricista Aluísio Maluf, houve falha grave no sistema de segurança, já que, normalmente, o sistema de proteção desligar a energia automaticamente, quando o cabo é rompido. "Houve uma falha preocupante. Isso tem que ser averiguado e resolvido com urgência." Aluísio explicou que um fio, ao ser cortado e entrar em contato com uma superfície, deixa de fornecer energia automaticamente, graças a um disjuntor. "É um sistema básico. É a primeira coisa a ser instalada. O que aconteceu vai contra a qualquer norma da fiação elétrica".

Segundo Aluísio Maluf, tragédias como essa poderiam ser evitadas se o sistema de rede elétrica fosse subterrâneo. Ele explica que existe o predomínio das redes aéreas porque é mais barato que o subterrâneo, que possui um alto índice de fios furtados. "Tem que observar o custo-benefício. É mais caro embutir os fios pelo subsolo, mas é mais eficiente, seguro e esteticamente melhor", defendeu o engenheiro eletricista.

No ano passado, a Empresa de Limpeza Urbana (Emlurb) da Prefeitura da Cidade do Recife teve que retirar a rede elétrica embutida da Rua da Aurora por causa dos furtos. Isso é um absurdo!”, criticou o especialista.